Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

Para a Lata de Lixo da História

PARA A LATA DE LIXO DA HISTÓRIA

Por Bruno Cepollina

Àqueles que pedem autocríticas ao PT. Parem, por favor, vocês estão passando vergonha. Respeitem suas próprias inteligências. O PT não fará autocrítica alguma. Não reconhecerão nada. Os petistas e seus asseclas continuarão a fazer o papel de vítima como canastrões no teatro do absurdo e das inversões que são as suas vidas.

Mais uma vez posam de pobres vítimas de uma conspiração opressora do grande capital perante sua derrota anunciada. Nada muda, nada mudará. Seguirão acusando seus adversários de todas as canalhices que sempre fizeram e que sempre farão.

O PT criou os MAVs e inundou a internet de blogs sujos e sites marrons financiados com verbas das estatais e dinheiro da corrupção e agora, num ato desesperado, descem a um novo nível de ridículo e mendacidade com essa mentira de que perderão as eleições por causa do whats app. Já esperneiam pedindo a anulação do pleito antes mesmo da materialização da inevitável derrota acachapante que os espera.

O candidato petista foi ao twitter pedir exatamente isso com base em uma matéria partidária da Foice de São Paulo onde nenhuma prova é apresentada. O PT e a esquerda sabem que isso não dará em nada, fazem isso para perder a parada, mas ganhar uma narrativa. Esse é o novo “Foi Golpe”, o dito caixa 2 do Bolsonaro e o Whats App são a “Russian Collusion” da esquerda nacional. É impressionante como nossas eleições são versão em VHS R Rated das eleições americanas. Mas fato é, o PT quer tomar o poder de qualquer maneira, como o líder petista e amigo de Ciro Gomes, José Dirceu afirmou: “Vamos tomar o poder, o que é diferente de ganhar eleição”.

Na cabeça do petista e de boa parte da esquerda, a derrota acachapante que se anuncia não se dará porque o partido comandou o maior esquema de corrupção da história.

Ou porque o PT comprou parlamentares com verba de corrupção.

Também não será porque seu líder espiritual é hoje um criminoso condenado, cumprindo pena em Curitiba.

Muito menos porque sua sucessora sofreu impeachment depois de milhões de brasileiros irem às ruas pedirem a sua saída.

Nada tem a ver com a adoção de políticas econômicas de moldes fascista, que promoveram empresários amigos do partido ao status de campeões nacionais com verbas do BNDES, favor que foi retribuído com propinas milionárias pagas em contas no exterior.

Não vão perder a eleição porque financiaram ditaduras sanguinárias no exterior com o nosso dinheiro.

Muito menos porque há uma longa trilha de sangue e homicídios não solucionados na história do partido.

Não pesou em nada a fanfarronice fiscal e a corrupção de suas administrações ao longo de 13 anos, culminando em uma das piores crises econômicas da nossa história.

O povo também não levou em conta a explosão da violência e dos homicídios no Brasil na última década, enquanto a esquerda levava adiante o seu discurso complacente com o crime e declaradamente anti-polícia.

Também nenhuma influência tiveram as leis e práticas que engessaram a possibilidade de ações efetivas no combate ao crime, numa inversão que pune quem combate e previne o crime, não os criminosos.

Também não perderão a eleição porque a quase totalidade dos figurões do partido foi condenada, está presa ou respondendo a processos.

Ou porque a esquerda promoveu um ataque sistemático à religiosidade e aos costumes do nosso povo nos últimos anos, bem como semeou o sectarismo e o ódio, tentando por todos os meios dividir a população em grupos e jogar uns contra os outros, na guerra do todos contra todos.

Ou a indignação popular ao ver dinheiro público indo para os bolsos de artistas milionários, numa compra e venda de consciências em escala industrial via Lei Rouanet.

Não são rejeitados porque promoveram o caos, a insegurança e a violência no campo e nas zonas rurais, fomentando movimentos que atentam contra as leis, a ordem, o estado de direito e a propriedade privada.

Nem porque tentaram usar de todas as chicanas possíveis para lançar um criminoso condenado como candidato à presidência e quando isso não foi possível, escolheram o pior prefeito da história de São Paulo como poste de presidiário, um homem que além de ter sido condenado nas urnas pela sua péssima administração, responde a 32 processos perante a justiça, incluindo os crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

Também não pesou terem apresentado um plano de governo repleto de medidas autoritárias e bolivarianas.

E finalmente, não serão humilhados nas urnas porque promoveram uma das mais sórdidas, dissimuladas, camaleônicas e canalhas campanhas eleitorais já vistas, com repetidas tentativas flagrantes de ludibriar o eleitorado, num ultraje à inteligência da população.

E a lista continua. Mas para o PT e a esquerda, sua derrota não decorre de sua lista de crimes e incompetência. Não! Para eles nada disso pesou, para eles, meus amigos, a culpa é do Whats App.

Se o PT não fez autocrítica até agora, vocês realmente acham que o farão? Eles não veem nada de errado com o que fizeram e, se assumem erros, o fazem na esfera estratégica quando falham em alcançar seus objetivos, jamais nas esferas legal ou moral.

Refutam e não aceitam desde já o resultado das urnas, porque não respeitam, nunca respeitaram e jamais respeitarão a vontade do povo. Acreditam-se melhores do que todos nós e nos enxergam como inimigos a serem destruídos e não concidadãos de uma mesma nação, iguais perante a lei. Passarão 4 anos tentando sabotar o novo governo usando dos mais baixos expedientes. “Farão o diabo” como disse a ex-presidente e futura presidiária.

O PT e suas metástases como PSOL e PC do B nada mais são do que facções de uma organização criminosa cheia de psicopatas irrecuperáveis que usam de um ideário revolucionário para justificar seus crimes passados, presentes e futuros contra nosso país e nosso povo. Mais do que sanha de poder e dinheiro, são movidos pelo ressentimento, pela inveja e pelo desejo de subjugar e aniquilar aqueles que ousam fazer oposição ao seu nefasto projeto.

O PT contou durante décadas com a interproteção mafiosa de companheiros de caminhada e militantes que ocuparam espaços na mídia, no meio artístico, nas escolas, nas universidades e nas instituições. Uma manada de vigaristas e idiotas úteis que se prestam ao papel de lambe-botas do bandido pinguço de Curitiba, do criminoso serial José Dirceu e comparsas. A tão sonhada hegemonia cultural havia sido conquistada pelo PT e a direita varrida do mapa, até que veio a internet e colocou tudo isso de cabeça para baixo.

Totalitários por natureza, não aceitam que a comunicação de cidadão para cidadão exista, não toleram a expressão individual e tentam silenciar quaisquer vozes dissonantes da narrativa oficial do partido. Promovem o reino da mentira e nos oferecem duas opções, o silêncio dos ermitões ou a aceitação bovina.

O pedido do PSOL ao TSE para que bloqueie o Whats App até as eleições, aplicativo que é hoje parte integral da economia e da vida brasileira, expõe pela enésima vez a natureza autoritária dessa camarilha e o seu desejo de impor-nos uma mordaça. Se pudessem, bloqueariam todos os meios de nos comunicarmos nas redes sociais e negariam à população quaisquer meios de buscar informações. Restaria apenas o jornal oficial do partido, a Foice de São Paulo, que depois de prostrar-se diante do PT e compactuar de maneira tão subserviente e abjeta com essa tentativa golpista e charlatã de sabotar as eleições, criando uma narrativa mentirosa que redima o PT e seus comparsas de seus pecados e crimes, irá, junto com o partido e seus apoiadores na mídia e nas universidades, para a lata de lixo da história.