Sign up with your email address to be the first to know about new products, VIP offers, blog features & more.

O Tempo de Lula

Por José Licínio

Quando Teori avocou todos os procedimentos relativos às investigações da lava jato que envolvem Lula, o bomsenso.org já alertava que o ex-presidente ganharia um bom tempo.

Passaram março e abril. Veio o mês de maio e o impeachment de Dilma. Temer assumiu. Várias crises já afligiram o novo governo. Lula até mesmo foi denunciado, mas por outros fatos: o Procurador-Geral da República aditou a denúncia contra Delcídio do Amaral e outros no Inquérito 4170 para incluir o ex-presidente, pois reuniu provas de que ele concorreu para a “compra do silêncio” de Nestor Cerveró, com a finalidade de embaraçar investigações sobre organização criminosa.

Somente agora, já em meados de junho, é que o Ministro determinou, na Reclamação 23457,  ajuizada por Dilma e Lula, a baixa das investigações à justiça federal do Paraná, inclusive as relacionadas às vantagens auferidas de empreiteiras, como o sítio de Atibaia e o triplex do Guarujá.

Por sua vez, as investigações relativas ao embaraço das investigações da Lava Lato, decorrente da nomeação de Lula como Ministro da Casa Civil por Dilma, permanecem na competência do STF, dado o foro de prerrogativa de função da última, que vigora pelo menos até a definição final do impeachment.

No tocante à interceptação do diálogo entre Lula e Dilma, mais uma previsão acertada do  bomsenso.org: Teori, a  invalidou. Entendeu o ministro que a decisão de Moro que levantou o sigilo das conversas violou a competência do Supremo e que a colheita do diálogo se deu quando não mais vigia autorização judicial para tanto.

Isso significa que a conversa interceptada em que Dilma diz a Lula que lhe estava enviando o termo de posse como ministro para que ele o usasse em caso de necessidade, a qual é finalizada com o “tchau querida”, não poderá servir como prova no respectivo inquérito.

A decisão de Teori a esse respeito tem grande relevância, pois certamente inviabilizará a demonstração do embaraço das investigações por criador e criatura.

Ao que parece, Lula conseguiu o que queria ao fazer o diabo para que as investigações a seu respeito fossem para o Supremo. Ao  final, ganhou um precioso tempo e, ao que parece, sem efeitos colaterais.